Veja o que fazer com o aumento das despesas

É importante, desde o início da vida profissional, saber como e com o quê gastamos o nosso dinheiro

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que três em cada dez idosos entre 65 e 84 anos no país estão com nome sujo, apresentando atraso de pagamento superior a 90 dias. De acordo com a pesquisa, uma das razões da inadimplência nessa população é a combinação entre a redução da renda e um aumento de gastos, em geral com a saúde.

Com o envelhecimento, os gastos com saúde tendem a aumentar. O valor do plano de saúde subirá periodicamente, o volume de consultas aumentará, assim como o consumo de medicamentos. A crença de que aposentando-se, as despesas diminuem, não se aplica a realidade dos idosos brasileiros.

A Fundação Getúlio Vargas calcula o Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade, o IPC-3i. Segundo o estudo, que calcula a variação da cesta de consumo de famílias compostas por pessoas acima de 60 anos, houve uma alta no ano de 2018 de 4,75% nos preços. No último trimestre, a inflação subiu de 0,69% para 0,80%. Os grupos mais atingidos foram os de saúde e alimentação. O aumento em planos de saúde foi de 10,07%, com consultas médicas e odontológicas 9,74% e de medicamentos 3,92%.

Planejamento financeiro

É importante, desde o início da vida profissional, saber como e com o quê gastamos o nosso dinheiro. O detalhamento de seus gastos atuais é o que o ajudará a planejar sua vida financeira no futuro.

Assim que aposentar, ainda estará cheio de energia, mas com os anos o fôlego já não será o mesmo. Sabemos que pesquisar preços e visitar diferentes estabelecimentos permite grandes economias, porém essa pesquisa é mais complicada para um idoso que tem a mobilidade prejudicada, por exemplo. O acesso à internet também pode ser limitado. Logo, a recomendação dos especialistas é que todos os gastos sejam anotados.

Faça isso em uma planilha, em um aplicativo ou até mesmo no caderno, o ideal é que deixe registrado tudo o que precisa gastar, assim cria-se a noção do que pode cortar ou diminuir.

A anotação é tão amiga das finanças que na hora de fazer o supermercado ela também vira uma aliada. Faça lista de compras, deixe de lado os supérfluos e dê prioridade apenas para o que for necessário. Outra dica boa de mercado é ficar atento às promoções, dar oportunidades à marcas menos conhecidas e comparar preços.

Deve-se tomar cuidado também com as compras por impulso. Na hora de comprar, seja consciente e se faça as famosas perguntas: eu realmente preciso comprar isso? Isso está dentro do que eu planejei de gastos para o mês? Se as respostas forem não, você não compra na hora e deixa planejado para comprar quando puder.

Se as anotações são amigas, o cartão de crédito pode ser um grande inimigo. Deixe-o apenas para emergências e prefira pagar as compras à vista, assim você não tem que pagar algo no mês seguinte fora do seu planejamento. Os juros e taxas do cartão de crédito, por exemplo, podem aumentar ainda mais suas despesas básicas.

Tags: finanças planejamentofinanceiro